Obras e Projetos

Criado em Terça, 25 Setembro 2012 09:51

ETA Oeste

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará está construindo uma nova Estação de Tratamento de Água, no conjunto Araturi, no município de Caucaia, denominada ETA Oeste. Com a finalidade de melhorar ainda mais o abastecimento de água na Região Metropolitana, a obra levará água diretamente a 1,2 milhão de pessoas. Após concluído, o projeto aumentará a vazão de água para 5 m3 por segundo, chegando à metade da capacidade atual da ETA Gavião (que abastece Fortaleza, Caucaia e Maracanaú). O investimento total previsto será de R$ 139 milhões.

A construção da Estação está sendo realizada em duas etapas. Na primeira fase, executada pela Secretaria de Recursos Hídricos e finalizada no final de 2010, a estrutura é capaz de produzir 5 m3 por segundo de água tratada. Foram investidos R$ 29,7 milhões. A primeira etapa constou de seis filtros descendentes, uma estação elevatória, um reservatório elevado, um sistema de aplicação de produtos químicos, um sistema de lavagem de gases, além de toda a área administrativa da estação.

A segunda etapa da obra está sendo realizada pela Cagece e consiste na construção de 7 filtros, um reservatório pulmão de água tratada, uma estação elevatória e uma adutora de 11,7 km, com 1.500 de diâmetro.

 

Macrossistema

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) iniciou, em março de 2010, as obras de assentamento de tubulação de grande porte de esgoto, na cidade de Fortaleza. A obra beneficiará diretamente 235 mil pessoas, em 20 bairros. O macrossistema irá esgotar as sub-bacias da Capital que ficam às margens do rio Cocó. Ao todo são seis sub-bacias: CE4, CE5, CE6, CD1, CD2 e CD3. Serão assentadas tubulações de grande porte (que variam de 400 mm a 1.200 mm), somando cerca de 22 quilômetros de extensão.

Os 20 bairros diretamente beneficiados serão Dias Macêdo, Itaperi, Parangaba, Serrinha, Parque Manibura, Cocó, Edson Queiroz, Cambeba, Cidade dos Funcionários, Salinas, Guararapes, Luciano Cavalcante, Cajazeiras, Parque Iracema, Barroso, Maraponga, Vila Peri, Vila Manoel Sátiro, Mata Galinha e Castelão.

A obras estão recebendo investimentos no valor de R$ 78,8 milhões, sendo parte (R$ 63,9 mi) pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e parte (R$ 14,9 mi) pelo Governo do Estado do Ceará.

Além da tubulação, serão implantadas três estações elevatórias de esgoto. O projeto inclui também 757 metros de travessia pelo método não destrutivo - quando, por exemplo, a tubulação passa por baixo de uma via sem precisar interferir na camada asfáltica.

 

Messejana

A Cagece reforçou o abastecimento de Messejana e entorno. Em Messejana, a Cagece informa que foi construída uma linha de reforço do abastecimento no local. A obra foi dividida em dois processos licitatórios, totalizando um valor de R$ 16,1 milhões, sendo R$ 5.866.182,21 em serviços e R$ 10.236.311,16 em materiais. O empreendimento beneficiou 470 mil habitantes (previsão de crescimento demográfico da área até 2015), com o assentamento de 12.880 metros de subadutora.

Foram beneficiados 14 bairros. A melhoria do sistema atende os bairros Messejana, Curió, Lagoa Redonda, Cambeba, Alagadiço Novo, Guajeru, Cajazeiras, Pedras, Paupina, Barroso, Ancuri, Coaçu, Parque Iracema e Jangurussu. A obra tem o objetivo de suprir as necessidades de água ocasionadas pelo crescimento demográfico da área.

A Companhia também instalou quatro válvulas redutoras de pressão e executou 100 metros de travessia, sendo uma aérea e duas por método não destrutivo.

 

Sistema Integrado de Saneamento Rural

A maioria dos sistemas de água rurais executados pela Cagece, através do São José, é administrada pelo Sistema Integrado de Saneamento Rural (Sisar). O Sisar começou a ser implantado no Ceará em 1996, na Bacia do Acaraú e Coreaú. Atualmente,  existem oito unidades do Sisar no Ceará (uma em cada bacia hidrográfica do Estado), totalizando 614 localidades atendidas e 315 mil pessoas beneficiadas com sistema de abastecimento de água gerenciadas pelos próprios moradores.

O Sisar beneficia pequenas comunidades e visa garantir, a longo prazo, o desenvolvimento e manutenção dos sistemas implantados pela Companhia de forma autossustentável. Cada um desses sistemas constitui uma Organização Não Governamental sem fins lucrativos, formada pelas associações comunitárias representando as populações atendidas, com a participação e orientação da Cagece.

Entre as atribuições dessas oito ONGs, está a prestação de assistência técnica, o controle da qualidade da água, o cálculo de tarifas, a emissão de contas e o repasse de informações para a Cagece. A estrutura organizacional do Sisar consta de um conselho de administração com 11 membros (5 das associações e 6 de órgãos governamentais) e um conselho fiscal com 6 membros (todos representantes das comunidades), além de considerar a voz dos moradores em Assembleia Geral.

Um dos destaques do Sisar é o valor da conta paga, que é muito abaixo do valor normal cobrado por uma conta de água. Isso se deve, porque a comunidade divide as despesas como energia elétrica, salário do operador da estação de tratamento e manutenção do Sisar.

A Cagece sensibiliza e capacita as comunidades, além de orientar a manutenção nos sistemas de tratamento e distribuição de água, mas são os próprios moradores que operam o sistema.

 

Vila do Mar

A Cagece trabalha em conjunto com a Prefeitura de Fortaleza nas obras do Projeto Vila do Mar. Cabe à Companhia a ampliação do sistema de água e do sistema de esgoto na área. Ao todo, serão investidos R$ 1.464.410,19, beneficiando 6.864 moradores, com recursos do Tesouro do Estado.

A obra inclui a execução de 2.794 metros de rede de água e de 1.319,20 metros de rede coletora. Deverão ser implantados também 3.214,02 metros de coletor tronco. Também constam dos benefícios 50 ligações intradomiciliares de esgoto e 80 metros para ligações prediais de esgoto.

Quando finalizada, a obra irá cobrir com esgotamento uma das últimas áreas da orla ainda carente deste serviço. Hoje, a cobertura média de esgoto nos bairros que avizinham a orla chega a 77,51%, o que representa 94.292 ligações de esgoto.

O Projeto Vila do Mar é uma obra de urbanização que visa beneficiar toda a extensão litorânea dos bairros Pirambu, Cristo Redentor e Barra do Ceará, com a revitalização urbana e ambiental do local.  Já são três quilômetros, de um total de 5,5 km, em fase de conclusão, com praça de convivência, quadras esportivas, calçadões, mirante, barracas de praia e iluminação pública. O investimento total previsto chega a R$ 142 milhões.

O Projeto contempla ainda uma avenida litorânea, ciclovia, calçadões, centro de artes e ofícios, anfiteatro e memorial, pista de skate, saneamento ambiental, proteção de encostas e engorda de praias.

O Vila do Mar também prevê o reassentamento dos moradores de áreas de Preservação Permanente (APP) e de áreas de risco. Os primeiros 264 apartamentos estão em fase de conclusão e têm previsão de entrega em agosto.

O Projeto tem coordenação ligada ao Gabinete da Prefeita com a participação das Secretarias de Infraestrutura (SEINF), Executiva Regional I (SER I) e Habitafor em sua execução e parceria com o Governo do Estado.

 

Plano Municipal de Saneamento Básico

O Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB), estabelecido pela Lei Federal 11.445/07, é um instrumento de planejamento, que estabelece diretrizes para a prestação de serviços públicos de saneamento, e deve atender os princípios básicos, entre elas a universalização. Após a elaboração do plano, o município deve encaminhá-lo para a Câmara de Vereadores através do Projeto Lei para a aprovação. A Lei Federal ainda prevê revisões do plano em um prazo máximo de 4  anos. O município tem até o ano de 2013 para elaborar seus planos de saneamento.

No Ceará, o Governo do Estado, através da Secretaria das Cidades, firmou convênio em 2011, junto à Associação dos Prefeitos do Ceará (Aprece), Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) e a Arce (Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados do Estado do Ceará) para a elaboração de planos de saneamento básico em 66 municípios do estado. O documento envolve recursos da ordem de R$1,6 milhão, sendo metade oriundos do Tesouro do Estado e a outra metade contrapartida dos municípios. O convênio prevê a elaboração dos planos como forma de solucionar questões que envolvam a rede de água, esgoto, resíduos e drenagem em municípios com a população de até 20 mil habitantes e que não tenham plano de saneamento básico.

A Cagece e a Arce participam dos planos de saneamento básico fornecendo apoio técnico e logístico.

Todos os documentos do Plano Municipal de Saneamento Básico estão disponíveis na página da Associação dos Prefeitos do Ceará (Aprece). www.aprece.org.br

Abaixo segue calendário das Audiências Públicas nos municípios:

28/11 – Saboeiro
29/11 – Granjeiro (manhã) / Ipaumirim (tarde)

Ler 59804 vezes Última modificação em Sexta, 11 Outubro 2013 16:26